• Blog
  • Artigo
  • Redes sociais corporativas: conheça 3 ferramentas para melhorar a Comunicação Interna

Redes sociais corporativas: conheça 3 ferramentas para melhorar a Comunicação Interna

slack, redes sociais corporativas

Redes sociais corporativas: conheça 3 ferramentas para melhorar a Comunicação Interna

Há alguns anos, as redes sociais vêm ganhando espaço no dia a dia dos indivíduos. O sucesso é tanto que elas se renovam a todo instante para satisfazer as necessidades e os desejos dos usuários. No entanto, essa nova forma de comunicação não se limita a vida pessoal.

Hoje diversas empresas já adotaram as redes sociais corporativas e estão transformando a maneira como os profissionais interagem. Elas são o reflexo da inovação que ocorre na sociedade. São fruto da busca por estratégias para melhorar o convívio entre profissionais, bem como propagar informações de maneira mais eficiente e aumentar a produtividade.

Acompanhe o post e conheça algumas das redes que têm causado impactos positivos no cotidiano das corporações! Boa leitura!

O que são redes sociais corporativas?

As redes (ou mídias) sociais receberam esse nome porque têm como principal objetivo conectar pessoas com os mesmos objetivos e valores. São plataformas on-line e, dentro desse domínio, é possível conversar e compartilhar informações, ainda que os outros participantes estejam a milhas de distância.

Na esfera pessoal, elas fomentam, até certo ponto, o convívio social e o contato com pessoas que, por um motivo ou outro, se interligam. O modo de operar uma rede social corporativa é semelhante: a diferença está no tipo de conteúdo, que é alinhado aos objetivos da empresa.

Além disso, elas podem ser exclusivamente compostas pelo público interno ou podem expandir o acesso a fornecedores, clientes e parceiros. Trata-se de um canal versátil de comunicação, por meio do qual é possível disseminar dados e garantir que cada profissional ou setor receba o comunicado em tempo hábil e com a linguagem adequada ao seu perfil.

Com isso, garantem-se a adoção, a integração e o engajamento por parte das equipes. Cada profissional pode ter um perfil de usuário na ferramenta e, assim, é possível publicar vídeos, fotos, notícias, promover debates, criar e fortalecer vínculos com profissionais de diferentes departamentos e assim por diante.

Todas essas ações giram em torno dos interesses da corporação e têm grande valor estratégico de Comunicação Interna e de Endomarketing, o que facilita o atingimento das metas. Veja, a seguir, três dessas redes e conheça um pouco melhor as suas vantagens!

1. Workplace

Esta rede social exclusiva para empresas é um lançamento do Facebook. Está em desenvolvimento desde de 2015 e, no início, foi chamada de Facebook at Work — só depois teve seu nome modificado para Workplace.

Tem interface muito semelhante à do Facebook, mas sem publicidade e com a possibilidade de se interligar a sistemas de Tecnologia da Informação (TI) das organizações que a adotam. Inclui recursos (como métricas para análises internas das empresas) e dashboards.

Em 2016, já havia atraído mais de mil empresas ao redor do mundo, incluindo organizações não governamentais (ONGs). O Workplace tem as principais funções do Facebook, como transmissão de vídeos ao vivo, criação de grupos e chats.

Além disso, tem feed de notícias, trending topics e possibilidade de reações às publicações. Já o Multi-Company Groups é um recurso que permite a criação de grupos compartilhados entre organizações. Com ele, empresas que têm interesses em comum ou trabalham em conjunto podem compartilhar conteúdos.

A plataforma está disponível para iOS e Android, funciona de modo totalmente independente do Facebook e permite bloquear formas de distração (como jogos do tipo Candy Crush). Com todos esses recursos, a ferramenta não é gratuita: o preço varia de US$ 1 a US$ 3 mensais por usuário, de acordo com a quantidade de funcionários da empresa ativos na rede social.

2. Yammer

O Yammer pertence à Microsoft. Foi comprado pela empresa em 2012 e vem recebendo diversas atualizações desde então. É uma plataforma que também pode ser usada por estudantes e está disponível para smartphones com Windows Phone, iOS e Android, além de computadores Windows e Mac.

A rede vem com o pacote Office 365 ou pode ser baixada diretamente do site oficial do Microsoft Office. O cadastro pode ser feito gratuitamente (mas requer um e-mail corporativo) e a rede apresenta anúncios aos usuários.

Tem interface simples e similar à de outras redes sociais. Nela, é possível publicar posts, curtir as publicações de outras pessoas, respondê-las e compartilhá-las. A rede permite a criação de grupos fechados — dessa maneira, podem-se separar equipes e abordar temas mais específicos.

O Yammer tem milhões de usuários. Por isso, a Microsoft investe cada vez mais em seus recursos: já incluiu, por exemplo, GIFs, que podem ser enviados em chats, conversas individuais e posts públicos. Um dos recusos são elogios que os líderes podem fazer tanto para equipes quanto individualmente.

3. Slack

A promessa do Slack é acabar com os e-mails na Comunicação Interna das empresas. Nele, qualquer usuário pode criar salas de bate-papo com assuntos distintos e para diferentes grupos. Além disso, há canais para conversas privadas ou podem-se marcar usuários específicos em conversas coletivas.

Lá, é possível trocar mensagens de texto e voz, bem como compartilhar fotos, vídeos e documentos. Tudo fica arquivado e o mecanismo de busca permite encontrar, facilmente, trechos de conversas anteriores. Isso ocorre porque o Slack organiza e estrutura as mensagens de maneira eficiente.

A plataforma mantém a confidencialidade, pois as conversas são vistas apenas pelos participantes das equipes e há a possibilidade de saber quem já visualizou a publicação. Não existem limites de usuários nos grupos e ainda é possível fazer marcações dando destaque às mensagens mais importantes.

As chamadas de voz e de vídeo permitem a participação de mais de 15 usuários, com notificações em tempo real. A plataforma tem a vantagem de se integrar a outras ferramentas bastante utilizadas pelas empresas, como Dropbox, Hangouts, Zendesk, Asana e Twitter. Isso facilita o gerenciamento de tarefas e a organização de documentos.

A rede pode ser baixada via iOS e Android. Para quem deseja acessar pelo computador, ela está disponível para Windows. Não há custos até que se atinja o limite de 10 mil mensagens enviadas nos grupos. Para quem alcançar o limite, há planos anuais que podem ser de US$ 80 a US$ 150 por pessoa.

Antes de escolher uma opção para ser utilizada por sua empresa, vale a pena fazer testes em pequenas equipes. Ao se decidir por uma rede, é de extrema importância que os líderes participem nessa estratégia.

Com isso, todo o grupo se sentirá mais motivado a participar. Esse tipo de ferramenta traz benefícios para a empresa — como a diminuição do turnover, uma vez que aumenta o senso de pertencimento dos profissionais. Isso acontece porque as redes sociais corporativas aproximam os funcionários, melhoram suas relações interpessoais e otimizam o dia a dia das empresas.

Este post foi útil para você? Então assine a nossa newsletter e receba nossas novidades em primeira mão!

Trackback do seu site.