• Blog
  • Artigo
  • 5 sinais de que é hora de investir em Comunicação Interna na sua empresa

5 sinais de que é hora de investir em Comunicação Interna na sua empresa

Reunião para investir em comunicação interna

5 sinais de que é hora de investir em Comunicação Interna na sua empresa

Os resultados do investimento em Comunicação Interna (CI) vão muito além do ambiente interno da empresa. Afinal, a forma como a corporação é vista pelo mercado e pelos clientes é reflexo do que ocorre em seu interior.

As informações devem circular dentro de uma empresa, pois isso melhora as relações com os colaboradores e evita uma série de problemas. Para tanto, é necessário um bom planejamento organizacional, que inclua a CI.

Investir em Comunicação Interna faz parte das estratégias para que os negócios fluam como o esperado. A qual é responsável por estreitar o elo entre os setores de uma organização. Entenda mais sobre as funções de uma comunicação eficiente e quando a sua empresa deve investir nessa estratégia.

Atribuições da Comunicação Interna

A Comunicação Interna é, basicamente, formada por processos de troca de informações em um ambiente empresarial. Existem vários canais que favorecem a circulação das notícias dentro de uma organização. Entre eles estão:

  • jornais (impressos ou eletrônicos);
  • revistas;
  • mural de avisos;
  • newsletter;
  • rede social corporativa;
  • intranet.

A escolha do melhor veículo depende do público que se quer alcançar. No entanto, seja qual for o meio de publicação, ele será uma ferramenta estratégica para aumentar a confiança dos colaboradores e otimizar o tempo nas tomadas de decisões — desde que todas as ações sejam bem planejadas, é claro.

Contudo, quando essas funções não estão sendo cumpridas e deixam de atender às necessidades da empresa, é preciso pensar em atitudes para que o sucesso da empresa seja alcançado. Há algumas situações que, ao serem detectadas, fornecem indícios da necessidade de intervenção.

Sinais de que você deve investir na Comunicação Interna

1. Clima organizacional desestabilizado

O ambiente de uma instituição é formado por vários fatores e, por essa razão, ele não é fácil de ser definido. Dentre as acepções de clima organizacional mais conhecidas estão:

  • as atitudes e os padrões de comportamento (formais e informais) existentes dentro de uma corporação;
  • os conjuntos de valores e atitudes que afetam a forma como os profissionais se relacionam entre si e com a empresa;
  • a percepção da qualidade da atmosfera que envolve a corporação (se as pessoas a avaliam positiva ou negativamente).

A empresa é um organismo vivo e, como tal, precisa de cuidados específicos para não adoecer. Quando o clima não está favorável, é hora de potencializar a cultura organizacional para que o rendimento da equipe não sofra declínio e prejudique o alcance de objetivos e metas. Boas práticas nesse momento podem ser campanhas, eventos ou comunicados.

2. Desmotivação

A rotina de um trabalho, por vezes, pode causar estresse e falta de ânimo. Os motivos que levam uma equipe a ficar desmotivada são vários e, dessa maneira, um diagnóstico bem-feito poderá revelar alguns.

Entre os mais citados em pesquisas feitas internamente nas empresas estão: o acúmulo de tarefas, a falta de reconhecimento profissional, a pressão e a cobrança em excesso. Contudo, o colaborador que não compreende o seu papel e/ou não tem informações precisas sobre dados importantes não se sente como parte da empresa.

Essa é uma das maiores causas da desmotivação. Para ter o engajamento dos profissionais, portanto, é preciso inseri-los no contexto empresarial e trabalhar sua confiança. Assim, ser transparente e ter diligência ao transmitir informações é essencial.

3. Falha na gestão de crises

Não é incomum que ocorram crises dentro de uma organização. Suas fontes podem ser diversas: dificuldade financeira (no mercado ou interna), algum acontecimento que abale a relação entre os colaboradores, erros na gestão, falha na produção, entre outros.

Independentemente do motivo, caso não haja um bom gerenciamento, o problema pode tomar grandes proporções e chegar à esfera externa, interferindo nos negócios. A Comunicação Interna tem a função de conciliar precisão e agilidade nos momentos de crise para que a informação chegue de forma correta e em tempo hábil aos profissionais.

4. Falta de produtividade

Quando as demandas não são supridas é sinal de que algo está errado. Porém, antes de tentar solucionar o problema, é preciso que a empresa saiba quais são as reais causas da baixa produtividade.

Insatisfação na função exercida, desgaste físico e/ou emocional, receio de ser demitido e contratempos com a liderança são algumas das explicações para essa questão. Para se prevenir de ocorrências como essas, vale a pena proporcionar aos profissionais um clima favorável a feedbacks.

Afinal, as pessoas têm mais liberdade para emitir opiniões e são mais abertas a receber críticas quando são motivadas a isso. Uma Comunicação Interna sem ruídos traz à tona as dificuldades enfrentadas pela equipe, proporcionando, dessa forma, uma solução mais objetiva.

5. Ineficiência na transmissão de informações

Muitas empresas circulam a maioria das informações relevantes apenas entre gestores e diretores. Quando as repassam para os colaboradores, o fazem de uma forma ineficaz e incompleta. O que grande parte dessas corporações não entenderam é que o maior capital que possuem são as pessoas que prestam serviços a ela.

Ao não levar em consideração que notícias importantes geram impactos diretos na vida dos colaboradores, essas empresas cometem um equívoco que pode provocar sérios transtornos. Como exemplo desse tipo de situação, pode-se citar a “rádio peão” que, muitas vezes, divulga inverdades que causam conflitos e perturbações no ambiente.

Para evitar esse tipo de cenário, a melhor solução é investir em Comunicação Interna. Dessa forma, não há perda de tempo na tentativa de reverter um quadro desfavorável, pois as chances de que algo assim aconteça serão praticamente nulas.

Terceirização da Comunicação Interna

Não é apenas o conteúdo que importa, mas a forma como ele é divulgado também é muito importante. Assim, a Comunicação Interna trabalha para propagar a boa imagem de uma organização e para mantê-la.

O planejamento da Comunicação Interna deve ser parte constante dos objetivos de uma corporação. Não se deve pensar nessa estratégia apenas em momentos de crise. Portanto, pensar na terceirização de uma equipe de especialistas em comunicação se torna uma boa opção.

Uma agência especializada em CI trata dos assuntos de modo estratégico. Ela torna o diálogo mais viável e cria fluxos de informações horizontais (da diretoria para os colaboradores) e verticais (entre os profissionais do mesmo nível na hierarquia) dentro da empresa.

Como resultado, a empresa alcança o sucesso na recepção, na compreensão e na apreensão da mensagem transmitida. A deficiência na comunicação, pela perspectiva da gestão de pessoas, é um dos maiores impeditivos para o crescimento das corporações.

Além disso, ao investir em Comunicação Interna, como consequência, obtêm-se incontáveis vantagens no curto e no longo prazo: colaboradores engajados, processos otimizados, recuperação do bom clima organizacional, diminuição do turnover e aumento no lucro são apenas alguns dos benefícios que se pode alcançar com a eficiência na transmissão de informações.

Se, ao ler o nosso post, você percebeu que sua empresa precisa investir em Comunicação Interna, não perca tempo! Entre em contato conosco e, juntos, nós buscaremos as melhores soluções para o seu negócio!

Tags:,