cultura e clima organizacional

Cultura e clima organizacional: a relação entre potencial e engajamento interno

Ter uma equipe de alta performance é o que deseja a maioria das empresas. No entanto, vários fatores influenciam na obtenção dos melhores resultados. Entre eles, estão a cultura e o clima organizacional.

Uma gestão que enxerga o potencial dos colaboradores e investe em medidas que os promovam pode estar um passo à frente, já que, tanto fora quanto dentro da organização, tal reconhecimento é bastante valorizado.

Todavia, para ter essa imagem positiva no mercado, é preciso promover cultura e clima organizacional saudáveis. Acompanhe o post a seguir e veja como isso pode ser feito em sua empresa!

Cultura e clima organizacional

Quando se fala em cultura e clima organizacional, muitos profissionais confundem os dois termos e/ou acreditam que sejam a mesma coisa. Entretanto, apesar de um influenciar diretamente o outro, existem muitas diferenças entre seus conceitos.

A cultura organizacional está ligada à identidade corporativa. É o seu conjunto de normas, a sua missão e seus valores. Ela é bem-resistente a mudanças e tem a ver com a forma como a organização conduz os seus negócios.

Quando se faz parte do dia a dia de uma empresa ou quando se tem um contato mais próximo com os seus processos, pode-se perceber a presença de certos hábitos e padrões de comportamento. E esses elementos é que formam a sua cultura.

Geralmente, quem não segue esses modelos em seu modo de agir pode não se enquadrar ao restante da equipe e gerar problemas para a gestão. Por isso, desde o processo seletivo, os perfis comportamentais são avaliados, pois esse é o primeiro passo para garantir um alinhamento entre o novo colaborador e a corporação.

O clima organizacional, por sua vez, está relacionado ao ambiente da empresa. Ele tem a ver com o nível de motivação e de engajamento dos colaboradores. Alguns fatores, como as condições de trabalho, as políticas de benefícios e recompensas, a liderança etc., afetam, de forma direta, o clima da organização.

Ele pode ser tido como um termômetro da companhia, pois reflete a percepção dos profissionais de uma empresa sobre ela. Muitos acontecimentos, como a demissão de um líder, as modificações nas ferramentas e nos processos etc., podem alterar essa visão.

Ao perceberem essa realidade, muitos gestores implantam pesquisas periódicas para avaliar os níveis de satisfação dos colaboradores. Dessa forma, é possível promover melhorias antes que a produtividade seja atingida negativamente.

A maior diferença entre o clima e a cultura organizacional está na maleabilidade de cada um. O primeiro é suscetível à mudança e pode sofrer alterações em curtos espaços de tempo, pois está exposto a fatores que nem sempre estão sob o controle das lideranças.

Tem origem nas escalas mais altas e sólidas da hierarquia e é difundida entre os colaboradores que, por sua vez, devem segui-la. Tais regras e hábitos são adquiridos de forma rápida e passam de profissional para profissional, tornando, assim, a cultura cada vez mais sólida.

Importância da cultura organizacional

A cultura é a essência da empresa e mantê-la ativa e fortalecida pode gerar um sentimento de pertencimento em seus colaboradores. Por isso, tão importante quanto ter uma cultura bem definida é promovê-la adequadamente dentro da organização.

Essa estratégia pode ser desenvolvida junto à Comunicação Interna (CI) e ao Endomarketing. Seja por meio de um setor específico, seja por uma agência contratada, as práticas de divulgação devem levar em consideração o público-alvo (os colaboradores), envolver a liderança e alinhar os diversos canais a serem utilizados.

Quando feita de forma correta, a CI cumpre o seu papel de disseminar as crenças e os valores da corporação. E isso é capaz de fazer com que os colaboradores se identifiquem e se esforcem para praticá-los no dia a dia.

Assim, é possível moldar comportamentos de acordo com o desejado. Pode-se fomentar, por exemplo, a maneira mais apropriada de se tratar um cliente, a forma mais eficaz de dar (e receber) feedbacks, uma cultura de hábitos saudáveis, de solidariedade ou, ainda, com foco em resultados.

Com um trabalho intenso, uma equipe especializada pode criar os melhores materiais informativos para alcançar os objetivos almejados. É preciso, inclusive, reforçar o discurso entre os líderes e gestores para que ele faça sentido dentro da organização.

Para realizar tal comunicação e obter maiores repercussões, os canais devem ser adequados e a linguagem precisa conversar diretamente com quem se deseja falar. Dentre os meios disponíveis, estão os murais, as redes sociais corporativas, os e-mails, os jornais, a TV corporativa etc.

Cuidar desse aspecto de uma companhia é lidar com o seu maior capital — o humano. Por isso, essas ações têm a capacidade de impactar todos os processos da empresa. Isso quer dizer que não só a produtividade poderá ser afetada, como também os índices de absenteísmo, de turnover e de retenção de talentos.

Relação entre cultura e engajamento

Diante dos elementos citados, não há como negar que existe uma sólida relação de interdependência entre o desenvolvimento do potencial dos colaboradores e uma forte cultura organizacional. Mudar alguns arquétipos não é uma tarefa fácil.

Mas, ainda que seja uma organização familiar e que sua cultura tenha sido estabelecida ao longo de vários anos, há a possibilidade de evoluir a maneira de se comunicar com os colaboradores e modificar padrões nocivos à saúde do negócio. Afinal, o comprometimento com a companhia pode levar a uma maior dedicação e a um maior engajamento.

Para tanto, todos devem trabalhar com o mesmo propósito, desde os estagiários aos líderes. Quando um time se envolve por completo, fica mais fácil realizar as mudanças necessárias e o sucesso da empresa se torna tangível.

Isso se dá porque as pessoas ampliam a visão que têm da companhia, o que proporciona a cada colaborador a possibilidade de assumir a sua parte no processo e transformá-la em um objetivo pessoal e profissional. Esse é o fundamento do novo conceito de “colaboradores lovers” que vem sendo propagado atualmente no mercado.

Investir na cultura e clima organizacional é dar atenção às relações humanas no ambiente corporativo. As empresas que atentam para essa discussão conquistam seus profissionais, melhoram a qualidade de vida deles e, em troca, ganham a sua fidelidade. Essa é uma necessidade em todas as organizações, e buscar o equilíbrio para saná-la é fundamental para aumentar a sinergia do time e o foco nos objetivos.

Agora que você já sabe o que o fortalecimento da cultura organizacional pode fazer por sua empresa, leia nosso post sobre integração de novos colaboradores e descubra por que essa etapa é tão importante!