P3K vence concorrência da Petrobras para serviços em comunicação interna na Refinaria de Paulínia-SP

A P3K Comunicação ganhou a concorrência realizada pela Petrobras para prestação de serviços de planejamento, implantação e avaliação das ações de comunicação empresarial integrada voltadas, prioritariamente, para o público interno da Refinaria de Paulínia (Replan), no interior de São Paulo.

Dentre os serviços prestados pela P3K à Petrobras estão a produção de conteúdo editorial voltado a todos os canais de comunicação interna da unidade, como murais físicos e digitais, meios eletrônicos, intranet, jornais interno e externo da unidade, assim como gestão de campanhas, ações promocionais e apoio na organização de eventos internos e externos, dentre outros.

O diretor de novos negócios da P3K Comunicação, Elizeo Karkoski, acredita que esta parceria é um importante marco para a expansão da agência. “Ganhar a concorrência de uma empresa como a Petrobras confirma nosso compromisso com a qualidade na prestação de serviços e transparência no planejamento. Trabalhamos com grandes empresas porque investimos em profissionais altamente capacitados em comunicação interna e numa plataforma de gestão exclusivamente moldada para a nossa metodologia, que garante aos nossos Clientes transparência e eficiência de ponta a ponta na nossa prestação de serviços”, garante Elizeo.

Um pouco mais sobre a Replan – Petrobras

A Refinaria de Paulínia (Replan) é a maior unidade da Petrobras em capacidade de processamento de petróleo: 69 mil m³/dia, o equivalente a 434 mil barris. Sua produção corresponde a 20% de todo o refino de petróleo no Brasil.

A unidade foi inaugurada em 12 de maio de 1972, época em que a cidade acabava de ser emancipada politicamente de Campinas. Sua construção começou em julho de 1969 e foi concluída em mil dias, prazo que até hoje é referência para a indústria do petróleo.

A cidade foi escolhida estrategicamente para a construção da que é hoje a maior refinaria do Brasil. Paulínia está a 118 km da capital paulista e sua localização, além de permitir maior facilidade de escoamento da produção, está inserida em um contexto de grandes facilidades logísticas, com acesso às principais vias de transporte rodoviário, ferroviário e terminais aéreos do estado de São Paulo.

A Refinaria de Paulínia iniciou sua atividade de operação no dia 2 de fevereiro de 1972, três meses antes da inauguração. Cerca de 20 mil metros cúbicos de petróleo por dia (126 mil barris) eram processados naquela época.