Comunicação Interna estratégica é premissa para liderança eficaz

Um estudo global*, que revela a percepção das pessoas sobre seus líderes, divulgado em maio de 2014, aponta que os itens mais  citados na avaliação de uma liderança eficaz são:

  • Liderar pelo exemplo
  • Comunicar-se de forma aberta e transparente
  • Trazer à tona o que os outros têm de melhor
  • Admitir erros

Uma das conclusões que podemos verificar no panorama apresentado pela pesquisa é a de que a Comunicação Interna é uma valiosa ferramenta para que líderes possam ter cada vez mais resultados no trabalho com suas equipes.  Como? Vamos lá.

Um profissional bem sucedido individualmente se torna, de uma hora para outra, um gestor de pessoas, sendo responsável não apenas pelo seu desempenho individual, mas sim pelos resultados de um grupo de profissionais.  Esses resultados dependem da interação e de, como aponta  a pesquisa, conseguir que os profissionais alcancem o melhor desempenho possível.

Considerando que todo cargo de gestão, independente do setor, pressupõe gestão de pessoas, o segredo está em conhecer essas pessoas. Conhecê-las individualmente é um mérito, uma vez que cada indivíduo tem suas potencialidades e necessidades, mas conhecer as respostas do grupo, o corpo de funcionários, suas visões, anseios e posicionamentos como grupo já é de grande valia.

A Comunicação eficaz é aquela que leva em conta a informação, o meio e, principalmente, a resposta que gerou. Sendo assim, para obter o melhor desempenho de uma equipe, é necessário que ela esteja familiarizada com as expectativas e que possa relatar  quais são suas considerações. A famosa via de mão dupla.

Uma Comunicação Interna que esteja alinhada ao planejamento estratégico das empresas, feita de forma clara e transparente e que contemple canais que se mantenham abertos ao feedback, traz um valioso material para que as lideranças obtenham subsídios que sirvam de apoio  na gestão das pessoas.

A pesquisa aponta que apenas 39% dos entrevistados consideram os líderes empresariais bons comunicadores em 2014. Em 2013, esse índice foi de 49%. O resultado nos mostra claramente  que  esse deve ser  um ponto de atenção para as lideranças.

Assumir um cargo não transforma, automaticamente, um  profissional em líder de sua equipe. É preciso estar atento às ferramentas que podem transformar a promoção pessoal em liderança para a equipe. Assim, a comunicação interna é aliada do líder, tanto na captação de subsídios para a tomada de decisão, quanto para manter a transparência nas decisões e direcionamentos, gerando engajamento dos funcionários.

Elizeo Karkoski é Diretor de Novos Negócios da P3K Comunicação.

*Fonte: 3º Ketchum Leadership Communications Monitor – KLCM, que englobou 6.509 pessoas de 13 países, incluindo o Brasil, em janeiro de 2014.

Quer receber mais conteúdo como este?
Assine nossa newsletter: